Romeu/ setembro 4, 2021/ Outros/ 0 comments

TEMPO DE LEITURA ESTIMADO: 12 MINUTOS

Vamos falar um pouco sobre um setup ou configuração básica para começar a produzir conteúdo em mídias sociais sem gastar o olho da cara, e também sem fazer feio para nossos espectadores, ou seja, vamos dar as principais dicas para montar o seu home estúdio e fazer suas transmissões nas redes sociais, seja você um amante da cozinha que vai transmitir suas receitas e dicas, um professor que quer produzir aulas online para seus alunos, uma igreja que quer fazer transmissões ao vivo dos cultos, um produtor de tutoriais diversos, ou o que mais sua imaginação permitir. Vamos lá?

Quando não temos experiência, e saímos a procura de informações, na maioria das vezes acabamos por ter opiniões adversas sobre um mesmo produto, uma recomendação de um equipamento que custa muito caro, o que pode até mesmo inibir nossa iniciativa devido aos gastos ou falta de conhecimento. O que devemos antes de mais nada é ter uma visão do que vamos querer produzir, qual será nosso público alvo, quem já faz o mesmo que queremos e o que esperamos obter como retorno do que estamos produzindo.

De posse dessas informações, podemos filtrar os conteúdos e indicações de outras pessoas que estão em uma realidade diferente do que vamos fazer, trocando em miúdos, se nosso objetivo é atingir um público inicial pequeno, não é viável adquirir equipamentos destinados a produções cinematográficas ou broadcasting por mais recursos que eles possam oferecer, a diferença perceptível inicial não justifica os custos. Diga-se de passagem o problema da megalomania é muito presente principalmente em alguns meios o que pode inibir quem tá começando, e produção de vídeo é um desses meios.

Agora, vamos ao que realmente interessa, para começar, o que você vai precisar é basicamente de um computador (que pode ser um de mesa desktop ou um notebook), uma câmera de vídeo que possa ser utilizada no computador, um microfone que pode ser o da própria câmera ou um modelo mais propicio ao que estamos captando, uma conexão de internet para realizar a transmissão e uma fonte de luz que pode ser desde a luz solar até uma simples lâmpada caseira, e claro um software de transmissão de vídeo (encoder) que no nosso caso vamos usar o OBS STUDIO que é gratuito e possui uma série de recursos. Adiante, vamos dar detalhes sobre diversas configurações de equipamentos e o que esperamos deles, para adequar ao nível do que estamos produzindo.

O COMPUTADOR

Como era de se esperar o computador é o ponto central e também o que mais precisa de atenção, primeiro porque pode ser a peça mais cara do conjunto, segundo porque a configuração adequada dele é o que vai fazer toda a diferença. Vamos entender o que cada coisa faz na configuração de um computador, e o porque das escolhas e no que elas vão impactar no resultado final.

O ponto mais importante é o processador ou CPU, esse é o responsável pelo poder de processamento do computador, diferente da produção de vídeo renderizado, para a produção de vídeo stream não é necessário um alto poder de processamento, até porque nas atuais configurações a unidade de processamento gráfico que vai fazer a codificação é a GPU existente na placa de vídeo, para um bom equilíbrio de qualidade e custo, fuja de investir em uma CPU de ultima geração, um processador de médio desempenho como um I5 de 5ºGeração vai dar conta do recado, principalmente se o sistema escolhido for baseado em POSIX como o LINUX.

O segundo ponto, é a PLACA DE VÍDEO, tente investir um pouco neste quesito, ele realmente faz a diferença se comparado com um modelo ON BOARD ou de baixa qualidade, mais novamente, um modelo de entrada vai atender bem as necessidades da grande maioria dos usuários para transmissão de stream, o ganho em questões de performance e qualidade de um modelo básico para um top de linha vai ser imperceptível para a grande maioria dos usuários principalmente quando o alvo são espectadores utilizando conexão 3G/4G em aparelhos celulares.

Um bom equilibrio entre CPU e VIDEO vai gerar um resultado economicamente mais viável na comparação preço x qualidade.

O terceiro ponto é a MEMÓRIA RAM, este é um ponto importante, e um computador com uma quantidade maior vai ser muito melhor, como não é o ponto mais caro da configuração, optar por algo entre 4GB e 8GB nos dias atuais é uma boa pedida e vai permitir rodar praticamente todos os recursos e softwares, novamente, o sistema operacional vai fazer uma grande diferença nesse quesito, pois alguns sistemas permitem um melhor ajuste do que está sendo executado e em que momento. Novamente, ter em mente que estamos adquirindo um computador com um propósito específico ou um de propósito geral, para poder determinar o que é mais ou menos importante.

O próximo passo e não menos importante é o DISCO RÍGIDO ou HD, modelos SSD ou MVMe M2 são muito mais rápidos que os tradicionais HDDs e optar por um modelo que comporte o sistema operacional, os softwares usados na transmissão e tenha espaço de trabalho para salvar nosso video “ONLINE” é o melhor, portanto configurações com 256Gb são realmente o mínimo recomendado. Toda a produção de vídeo acaba ocupando muito espaço, principalmente se você for armazenar as cópias para backup. Como os discos SSD e MVMe são mais caros, se o seu orçamento permitir um segundo disco HDD pode ser adicionado para armazenamento em massa dos dados e vídeos já salvos.

A placa mãe, bem como a ideia é algo inicial, um modelo padrão comercial atenderá bem os requisitos, a maioria das placas hoje já vem com todos os periféricos integrados, como chip de som e de rede, portas USB 2.0 ou 3.0 (que são muito mais rápidas) e não requer nenhum recurso específico ou fora do tradicional. A base da configuração está feita, além disso, o que é necessário são caixas de som para poder monitorar o que está sendo transmitido, teclado, mouse e monitor, nada muito excêntrico.

O SISTEMA OPERACIONAL – A ESPINHA DORSAL

Do mesmo modo que a CPU e seus periféricos são o cérebro do computador, o sistema operacional é o coração e um não sobrevive sem o outro. O SO (sistema operacional) é o conjunto de programas que vão permitir a utilização do computador por nós usuários, de longe, a maioria dos computadores pessoais e empresariais utiliza o Windows (em alguma de suas versões) que é um software da empresa Microsoft e que tem um custo de licença para ser utilizado. Lembre-se que quando você vai usar o computador para uso comercial (a produção de vídeos mesmo que caseira, pode ser interpretada como uso comercial) esse sistema possui licenças específicas para poder ser usado nessas condições. Aqui, cabe um parafraseado de uma citação bíblica “NEM TUDO É LICITO MESMO QUE CONVENHA” pois mesmo que você possa usar uma cópia para uso caseiro desse sistema e produzir conteúdo você está agindo contra a licença do software e isso pode ser considerado pirataria e uso ilegal, gerando problemas de autoria e pirataria digital. Outro ponto forte a ser observado é que por ser um software comercial, muitos ‘acessórios’ que vem anexados não são úteis se o destino do computador for somente a transmissão e produção de conteúdo.

Uma alternativa ao Windows são uma das diversas distribuições de LINUX ou outro sistema baseado em POSIX algumas com um perfil próximo ao do Wiandows como o caso da distribuição MINT e da distribuição UBUNTU que são voltadas ao uso geral e muito fáceis de usar em comparação com o windows e que vão atender bem os requisitos tanto de um computador para transmissão como para utilização com fins de acesso a internet, estudo em geral. Uma alternativa específica para a produção multimidia é a distribuição AV LINUX (http://download.linuxaudio.org/avlinux/) ou o UBUNTU STUDIO (https://ubuntustudio.org/) ou a APODIO (http://apodio.org) a IO FREE (http://io.gnu.linux.free.fr/) que são específicas e otimizadas para produção multimídia, o que certamente vai agregar muito valor e disponibilidade de softwares e aplicações para seu trabalho, sendo que você pode rodar eles até mesmo de um PEN DRIVE para usar essas versões somente na hora de gerar o conteúdo e ter o PC com outra configuração conforme a necessidade diária.

A CÂMERA DE VÍDEO OU WEBCAM

Este é sem dúvida a parte mais importante pois dela depende a maior parte da qualidade perceptível da produção, a escolha de um modelo com resolução de 1080p (full HD) é o ideal, hoje, com alguns softwares também é possível utilizar um aparelho de celular como câmera para uso com o OBS e também como uma segunda câmera, para cortes ou para outros usos.

Com a rande popularização dos aparelhos de celular e a crescente qualidade das câmeras existente, é possivel utilizar praticamente qualquer modelo de aparelho intermediário, bastando adquirir um software que dependendo do sistema operacional do aparelho pode ser gratuito ou não, consulte a loja de aplicativos do seu aparelho para maiores detalhes, neste quesito eu recomendo o OBS WebCam Plugin a versão para o computador é livre, e a dos celulares tem uma versão gratuita que limita a resolução em 720p e a paga (em torno de US$ 8 – oito dolares) permite uso da resolução máxima da câmera e uso de qualquer uma das câmeras do celular e seus recursos.

Se a escolha for pela câmera USB, um modelo 1080p atualmente (setembro/2021) está custando em torno de 400 a 500 reais, se o seu orçamento permitir, um modelo estilo Câmera de Mão (HandCam) é bem vindo, pois pode ser tanto ligada no PC como pode ser usada para filmagens externas, ao estilo GoPRO onde o investimento médio fica na faixa de 1000 a 2000 reais. Hoje praticamente qualquer modelo possui foco automático, regulagem automática de iluminação, e requer poucas configurações por parte do usuário, para as de celular o mesmo pode ser aplicado. Atendendo bem para os usuários iniciantes.

A ILUMINAÇÃO

Para captar vídeo, precisamos de luz, no caso, para iniciar uma transmissão, podemos usar alguns artificios simples que vão melhorar muito a qualidade, a dica principal neste quesito é use pares, nunca use uma única fonte de luz para não criar sombras, se a câmera vai ficar de frente para o orador ou objeto a ser filmado, use as fontes de luz dos dois lados, como na imagem, o ideal são pelo menos as 2 fontes laterais, você não precisa usar nenhum equipamento profissional para isso, você pode usar uma simples lâmpada de led caseira, de 12w em cada um dos pontos, para que a luz não fique marcada, você pode usar uma simples folha de papel sulfite ou papel manteiga como difusor, desse modo a luz antes de atingir o objeto ou a pessoa vai se espalhar pelo papel diminuindo a probabilidade de criar sombras duras e marcadas na filmagem.

Hoje as câmeras conseguem fazer um balanço da temperatura de cor de maneira quase automática, dai não existe a necessidade de escolher uma lâmpada especial, tenha em mente que no mercado existem 2 “CORES” de branco que são dominantes, a temperatura de 3200K que é a luz incândescente e a temperatura 6000K que é a luz branca fria, as QUENTES tem como característica melhorarem a resolução e profundidade de cor, sendo ideais para a luzes laterais, já as luzes frias tendem a melhorar o contraste, sendo ideais para a luz frontal. Se você for utilizar um cenário virtual, ou usar efeitos ou quiser realçar os objetos de fundo, além dessas luzes é necessário luzes específicas para o fundo, chamadas de luz de preenchimento, mais vou deixar esses detalhes para um proximo artigo, onde irei falar do uso de chromakey e como faze-lo.

O AUDIO E OS MICROFONES

Para finalizar, o audio, se a idéia é somente um vídeo simples, como uma aula, ou um tutorial, você não precisa de nenhum recurso diferenciado, a propria placa de som do computador é suficiente e permite uso de um microfone e de arquivos de música de fontes variadas como os sons do sistema, as placas atuais, além dessas duas fontes ainda permite a ligação de uma fonte externa como o audio da camera de vídeo ou uma mesa de som externa, mais novamente vamos deixar esse tópico para outro momento.

No microfone, escolha um que seja adequado ao tipo de uso, ou seja, se vai utilizar para voz, prefira um microfone lapela ou direcional, existem centenas de opções simples no mercado com custos bem acessíveis, não existe a necessidade de nada muito diferente ou excentrico. Se o orçamento permitir, prefira um modelo semi-profissional ao invés dos tradicionais usados em games e de uso geral como os que acompanham as câmeras ou celulares, investir um pouco neste quesito pode reduzir muito a dor de cabeça.

Se for fazer vídeos em ambiente externo, modelos que permitam uso de protetores de pele anti puf, ou de espuma (as chamadas camisinhas) vão produzir melhores resultados, pois não captam os ruidos do vento e mesmo os pequenos sopros da voz, invista um pouco de tempo em aprender os melhores posicionamentos e a forma correta de uso para as diversas opções de captação, melhor que investir em um equipamento caro é saber usar corretamente o o básico.

A CONEXÃO A INTERNET

Para finalizarmos este artigo de hoje, para poder fazer a transmissão é necessário uma boa conexão com a internet, a dica é prefira conexão fixa por exemplo fibra-ótica ou DSL ou CABLE que são mais estáveis que as redes 3G e 4G no Brasil, se a única opção for usa-las, prefira uso de equipamentos como modens que permitam instalação de antena externa hoje existem no mercado dezenas de equipamentos para uso de internet rural, que vão produzir conexões mais estáveis que aparelhos celulares.

O mesmo se aplica a internet que vai ligar o PC, se possível utilize rede com fio, principalmente quando começar a crescer, muitos equipamentos de audio e de iluminação e mesmo equipamentos eletrônicos causam interferências nas redes sem fio 4G, WIFI e são menos estáveis que as conexões cabeadas, neste quesito, qualquer modem mesmo o fornecidos em comodato pelas operadores e prestadoras de serviço de internet quando ligadas pela rede cabeada possuem ótimas taxas e níveis de resposta, o mesmo não ocorre com os links sem fio desses equipamentos que tem grandes perdas de velocidade e são extremamente sensíveis destinados a uso caseiro, então, investir alguns reais em um cabo de rede para a ligação do PC vai diminuir muito as dores de cabeça.

O mesmo principio se aplica ao uso de transmissão sem fio, bluetooth ou wifi para os equipamentos como microfones, câmeras de vídeo, se você for utiliza-los, verifique muito bem as condições de aterramento da rede elétrica do local e se esses sinais sem fio não estão sofrendo interferências de outras fontes próximas como outros equipamentos em frequencias próximas que possam causar inestabilidade na sua rede a qualquer momento, o mesmo não ocorre com uso de cabos, desde que o sistema de aterramento dos equipamentos esteja minimamente funcionando.

CONCLUSÃO

Estas dicas são uma fonte de inspiração para que você possa iniciar neste delicioso mercado, e quem sabe além de se divertir sem gastar muito, pode adquirir uma renda extra, no proximo artigo, famos fazer um tutorial básico de uso do OBS (Open Broadcast Studio) que é o software usado para transmissão de lives, com dezenas de recursos e que possui recursos que vão desde o básico até o avançado para transmissões profissionais. Além de dar dicas mais específicas para quem já está começando e querendo melhorar o nível de seu home studio.

 
Share this Post