Romeu/ dezembro 25, 2017/ Outros

TEMPO DE LEITURA ESTIMADO: 6 MINUTOS

LED (Light Emission Diode – Diodo Emissor de Luz) é um componente eletrônico que produz luz de uma cor, sem produzir calor, que podem ser comandados individualmente e terem sua intensidade controlada através de pulso (PWM) e possuem uma características que os tornam essenciais nos dias de hoje, consomem pouca energia (altíssima eficiência) e possuem alta durabilidade.

Os LEDs têm muitas vantagens sobre lâmpadas incandescentes convencionais. Uma delas é que eles não têm um filamento que se queime e então durarão muito mais tempo. Além disso, seus pequenos bulbos de plástico os tornam muito mais duráveis. Eles também cabem mais facilmente nos modernos circuitos eletrônicos.

Mas a principal vantagem é a eficiência. Em uma lâmpada incandescente convencional, o processo de produção de luz envolve a geração de muito calor (o filamento deve ser aquecido). Isso é energia totalmente desperdiçada. A menos que você use lâmpadas como aquecedor, porque uma enorme porção de eletricidade disponível não está indo para a produção de luz visível. LEDs geram pouco calor. Uma porcentagem muito mais alta de energia elétrica está indo diretamente para a geração de luz, o que diminui a demanda de eletricidade consideravelmente.

Atualmente, o LED evoluiu e foi criado o chamado OLED (Organical Light Emission Diode – Diodo Emissor de Luz Orgânico) que além de possuir todas as vantagens de seu antecessor, possui um tamanho inferior e a possibilidade de uso em matrizes de maneira muito simplificada, ou seja, imagine sua televisão de altíssima resolução e que pesasse menos de 10Kg e pudesse ser enrolada e guardada, ou uma tela feita diretamente em sua roupa, essa é a principal utilidade do OLED.

O OLED pode ser montado em filmes cerca de 200 vezes menores que um fio de cabelo humano, dai sua característica de poderem ser usados em praticamente qualquer superfície, pois são flexíveis.

O OLED consiste nas seguintes partes:
-Substrato (plástico transparente, vidro, lâmina) – o substrato é o que dá suporte ao OLED, e pode ser rígido ou flexível;
-Ânodo (transparente) – o ânodo remove elétrons (adiciona buracos de elétron) quando uma corrente passa através do dispositivo;
-Camadas orgânicas – estas camadas são feitas de moléculas orgânicas ou polímeros;
-Camada condutora – esta camada é feita de moléculas de plástico orgânico que transportam os buracos do ânodo. Um polímero condutor usado nos OLEDs é a poli-anilina;
-Camada emissiva – esta camada é feita de moléculas plásticas orgânicas (são diferentes da camada condutora), que transportam elétrons do cátodo. É aqui que a luz é gerada. Um polímero usado na camada emissiva é o poli-fluoreno.
-Cátodo – pode ou não ser transparente dependendo do tipo de OLED – o cátodo injeta elétrons quando a corrente passa através do dispositivo.

Vantagens e desvantagens do OLED

O LCD é, atualmente, o display escolhido para pequenos dispositivos e também é popular para as TVs de tela grande. Os LEDs normais formam, freqüentemente, os dígitos em relógios digitais e outros dispositivos eletrônicos. Os OLEDs oferecem muitas vantagens sobre os LCDs e LEDs, as camadas orgânicas de plástico do OLED são mais finas, leves e flexíveis do que as camadas cristalinas do LED ou LCD.

Como as camadas de emissão de luz do OLED são mais leves, o substrato do OLED pode ser flexível ao invés de rígido. Os substratos do OLED podem ser de plástico, ao contrário do vidro usado nos LEDs e LCDs.

Os OLEDs são mais brilhantes do que os LEDs. Como as camadas orgânicas do OLED são mais finas do que as camadas de cristal inorgânico correspondentes de um LED, as camadas condutiva e emissiva do OLED podem ser sobrepostas. Da mesma forma, os LEDs e os LCDs precisam do vidro como suporte e o vidro absorve alguma luz. Os OLEDs não precisam de vidro, portanto geram mais luz, e maior brilho.

Os OLEDs não precisam de luz de fundo como os LCDs. Os LCDs funcionam através do bloqueio seletivo das áreas de luz de fundo para montar as imagens que você vê, enquanto os OLEDs geram a própria luz. Como os OLEDs não necessitam de luz de fundo, eles consomem muito menos energia do que os LCDs (a maior parte da energia do LCD vai para a luz de fundo). Isto é especialmente importante para dispositivos que funcionam com bateria, como os telefones celulares.

Os OLEDs são mais fáceis de serem produzidos e podem ser feitos em tamanhos maiores. Como os OLEDs são essencialmente plásticos, podem ser feitos no formato de folhas grandes e finas. Já é muito mais difícil crescer e distribuir com esse formato tantos cristais líquidos.

Os OLEDs possuem grandes campos de visualização, aproximadamente 170 graus. Como os LDCs funcionam bloqueando a luz, eles apresentam um obstáculo natural de visualização de determinados ângulos. Os OLEDs produzem sua própria luz, portanto, têm um alcance maior de visualização.

Problemas do OLED

O OLED parece ser a tecnologia perfeita para todos os tipos de display, mas ele também apresenta alguns problemas:

– Vida útil – enquanto os filmes de OLED vermelho e verde apresentam uma longa vida útil (10 mil a 40 mil horas), os orgânicos azuis apresentam atualmente uma vida útil mais curta (apenas mil horas aproximadamente);
– Água- a água pode facilmente danificar os OLEDs.

APLICAÇÕES ATUAIS DOS LED´s e OLED´s

Atualmente, muitos fabricantes utilizam-se das telas de OLED em câmeras digitais e dispositivos portáteis, desde 2008 alguns fabricantes colocaram no mercado alguns televisores de médio formato em OLED (40 a 60 polegadas) e já está em desenvolvimento telas de grandes formatos como display de televisores com mais de 20 metros quadrados.

Iluminação residencial e comercial, o LED e o OLED permitem alta eficiência, portanto melhores resultados em durabilidade e eficiência.

Iluminação Cênica, o LED permite total controle e mistura de cores, dando a impressão de infinitas cores através do controle RGB e da mistura de diferentes tons.

O OLED permite uso de imagens e informações em tempo real, e com cerca de 80% de transparência, portanto pode existir interação entre imagens geradas holograficamente e digitalmente com atores e objetos no cenário, bem como projeções de informações. Imagine durante o show de um artista que a letra da música possa estar inserida no rodapé do palco como uma legenda, ou que durante uma peça de teatro o ator interage com imagens geradas por computador e que são parte integrante da cena.

Essas e dezenas de outras mágicas com imagens de alta resolução são só o exemplo e o nascimento dessa nova tecnologia.

Opiniões sobre o Artigo

Nome: Marcelo naspa
Texto: Como trabalho com locação de eventos e os clientes estão cada vez mais exigentes em relação a novidades, este artigo é bastante interessante para quem quer realmente conhecer e desfrutar de novas tecnologias, tanto em eventos como no trabalho, laser e no cotidiano, e são informações como esta que nos trazem uma luz a respeito de inovações.
Resposta:Marcelo, Muito obrigado pelo seu comentário, e nós buscamos constantemente novidades ao redor do Mundo, para sempre manter-mos a linha de frente em quesitos tecnológicos e equipamentos na área de eventos.

 
Share this Post