Romeu/ dezembro 2, 2017/ Iluminação Profissional e Arquitetural/ 0 comments

TEMPO DE LEITURA ESTIMADO: 4 MINUTOS

Antes de mais nada, estou usando o termo MESA para me referia a geradores de sinal DMX e o termo DIMMER para me referia a aparelhos que recebam o sinal DMX como maquinas de fumaça, racks e moving lights.

Buffers, Splitters, Isolators e Repeaters

Buffer e Splitter DMX de 1 entrada e 6 saídas

Por limitação do protocolo DMX-512 são possíveis de se ligarem até 32 aparelhos em um mesmo segmento, para se ligar mais de do que isso, são necessários outros aparelhos como por exemplo: – Repeater ou repetidor, ele pega um sinal DMX cheio de ruídos e baixa tensão que já passou por diversos aparelhos e o regenera, possibilitando que mais 32 aparelhos sejam ligados em sua saída;

– Isolator ou isolador é o mesmo que o repetear só que ele isola as suas pontas, ou seja além de regenerar o sinal ele evita os problemas com loops de aterramento;
– Splitter é o mesmo que o repeater, só que a partir dele, são geradas várias saídas, ou seja, ele é um concentrador que permite que diversas pontas de cabo sejam interconectadas;
– o Buffer é o mesmo que o isolator só que com diversas saídas isoladas da entrada e também das saídas, geralmente o buffer é ligado diretamente a mesa, e nele são ligados dependendo da necessidade os spitters, já os isolators são usados em segmentos longos de cabo que estejam recebendo uma interferencia muito alta, e os repeaters são usados em segmentos de cabo onde diversos aparelhos (mais de 30) são ligados, a curtos espaços.

Atualmente praticamente qualquer modelo de splitter são isolados em cada uma das redes, ou seja, um problema em qualquer uma delas, não causa interferência nas demais, isso é possivel devido ao extremo barateamento do CI

Comunicação Digital

É aqui que temos o diferencial entre DMX e comunicação analógica, antes tínhamos um sinal para cada canal do Rack, dai para se ligar 512 canais precisávamos de 513 fios, sendo um para cada canal do Rack e 1 sinal de controle.

Para um Rack analógico ficar a 47% de intensidade tínhamos de colocar o cabo relativo ao controle com 10 Volts e o relativo ao canal controlado a 4,7 Volts, e assim sucessivamente para cada canal do Rack.

Já com o sinal DMX isso não ocorre, seria como através de 1 par de cabos a controladora ou mesa enviasse o aviso “Ei, 45 quero você a 50% e você 508 quero você a 37%” e eles através do único cabo obedecessem. Como eles fazem isso? Através da comunicação digital ou seja 0 e 1, só que com somente esses 2 estados só teríamos a lampada ligada ou desligada, dai, mandamos uma série com 9 sinais ou bits, e podemos ter 512 combinações que vão desde 000000000 (0%, desligado) até 111111111(100% ou ligado a total potência) e pode ter valores intermediários como 100000000 que significa 50% de intensidade.

Canais

Como o DMX controla diversos aparelhos? A resposta é através de canais, ou seja o DMX-512 é hoje o padrão de comunicação e permite até 512 canais de 255 posições cada um. Para sinalizar quando um novo pacote DMX está sendo transmitido, é enviado um sinal 1 por 8 microssegundos, depois 0 por 8 microssegundos e logo em seguida um pacote de 9bits que indica qual é o canal (1 a 512), e mais 1 pacote de 8 bits que indica qual o estado (0 a 255), ou seja ele diz quem é e o que fazer.

Então o cabo teria a seguinte informação: Sinal de Envio DMX, canal e potencia, canal e potencia, … canal e potencia. Sendo que até 512 pares canal e potencia podem ser transmitidas simultaneamente.

Os dimmers pegam cada um dos canais e transformam em intensidade de uma lampada, já aparelhos mais sofisticados como os scans pegam mais de 1 canal e controlam suas funções como por exemplo: Canal 1 – Cor (0=desligado, 1-10=Azul … 240-255=trocando) um exemplo melhor pode ser visto nas descrições de produtos DMX. Canal 2 – Gobo (0=fechado 50=bolinhas) e por ai até que todas as suas funções sejam controladas, existem aparelhos de moving head e de multi-braços que chegam a utilizar mais de 50 canais DMX.

 
Share this Post